11 de nov de 2007

Cap 10: Moral em alta (Cris)

Acordei com uma maravilhosa sensação de ter dormido o sono mais restaurador do mundo. Contorci-me preguiçosamente sob o edredom macio e quentinho e reconfortei minha cabeça no travesseiro. Novamente, voltei à realidade, lembrando-me de onde estava.

Abri os olhos e vi o relógio da cabeceira da cama de Igor marcando 9:12 da manhã. Minha nossa! Meu coração disparou, mas eu me lembrei prontamente que hoje era meu sábado de folga. Uma grande sensação de alívio trouxe-me prazer e satisfação por desfrutar de mais um tempinho ali, naquele ninho fofo e felpudo.

_Mano, parabéns! _ ouvi um gritinho e, antes que pudesse levantar a cabeça, uma criança pulou em cima do colchão, fazendo meu corpo subir e descer. _ Ih, não é o irmão! _ o garotinho de cabelo liso escorrido na testa se espantou. Era branco e parecia um Igor em miniatura, com 7 anos de idade.

Eu franzi a testa e apoiei meu corpo sobre os braços.

_Natanael, cadê você? _ uma voz feminina veio do corredor e logo uma mulher apareceu na porta do quarto. _ Oi. _ ela sorriu sem graça ao me ver na cama de Igor. Devia ser sua mãe. _ Desculpe... Ele é muito danado. _ inclinou-se e estendeu os braços para o menino sair de cima dos lençóis.

_Tudo bem...

_Onde está o meu filho? _ perguntou.

_Ah!... _ eu abri a boca para responder, mas fui interrompida por uma garota que entrou falando alto.

_Eu quero ser a primeira a desejar feliz anivers... _ ela calou-se ao me encarar e olhou para a mãe em busca de explicação.

Logo em seguida, entrou o pai também. Que ótimo, agora eu devia explicação a toda a família por estar na cama de Igor, vestida com as roupas dele. Onde estava agora para me salvar?

_Você é bonita. _ a menina comentou, sentada na cama. Devia ter uns 15 anos, usava roupas coloridas, muitas pulseiras. _ Também é atriz?

_Não, não... _ ri e arrumei o meu cabelo com as mãos.

_Você é a namorada do mano? _ perguntou o garotinho.

_Não! _ balancei a cabeça negativamente.

_Por que tantas perguntas, vocês dois?! _ a mulher reclamou. _ Vamos sair daqui! Não devíamos ter chegado de surpresa.

_Desculpe-nos. _ disse o homem polidamente, parecendo ser o único realmente envergonhado pela invasão.

Eu é que estava sem graça. Pelo que tinha entendido, hoje era aniversário de Igor?

Levantei-me e fui até a suíte lavar o rosto e passar um pouco de pasta de dente na boca para um bochecho. Atravessei o corredor descalça e os encontrei sentados à mesa da cozinha, tomando o café da manhã que a empregada preparara.

_O Igor saiu? _ a mulher me perguntou. _ Desculpe, deixe antes eu me apresentar. _esticou a mão. _Sou a Jeniffer, a mãe dele. Esse é meu marido, Ruan.

Sorri e acenei com a cabeça para o homem que cortava o pão.

_Essa aqui é a Luísa e esse, o pimentinha do Natanael.

_O Igor dormiu na dependência, senhora. _ a emprega respondeu por mim.

Todos me olharam. Agora achavam que eu o expulsara da cama por alguma briga e tinha mandado Igor dormir na casinha de cachorro!

Não respondi nada, abri a porta da área de serviço e fui buscar a minha roupa pendurada no varal. Entrei no banheiro que havia ao lado do tanque e me vesti.

Ao abrir a porta, dei de cara com Igor, que também abria a porta do quarto.

_Você tem uma boa resposta pronta para os seus pais sobre eu estar na sua cama? _ disse-lhe baixinho.

_Ah, eles estão aí?! _ sorriu, ainda com muito sono.

_Sim, fui acordada por toda a família.

_Desculpe.

_Não, tudo bem...

_O Natanael pulou na cama e te beijou?

_Quase, não chegou na parte do beijo. _ respondi e me sentei em uma cadeira para calçar o sapato.

_Dormiu bem?

_Muito, esse é o problema, dormi demais! _ abri minha bolsa e peguei uma presilha. Fiz um coque no cabelo.

_Perai, deixa eu falar com a minha família. _ ele passou por mim e já quando apareceu na porta começaram os aplausos.

_Parabéns para você, nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida... EEEEHHHHH

_Pensei que não viriam para a festa! _ Igor abraçou os seus pais e pegou o irmão menor no colo. Fiquei da porta presenciando aquela linda cena de família.

Como queria ter uma câmera fotográfica naquele momento. Mas este meu desejo jornalístico de partilhar tudo o que é importante com os leitores foi imediatamente substituído por outro sentimento, agora de repreensão. Não era justo dividir aquele ato singelo. Sua singularidade estava em ser íntimo, privado, apenas digno de poucos.

_Eu não sabia que era hoje. _ disse-lhe, quando Igor voltou para a área de serviço para me dar mais atenção. _Parabéns.

_Sem problemas. E obrigado pelos parabéns.

_Estou agora duplamente sem graça. _ abaixei a cabeça. _Eu vou embora. _ disse-lhe.

_Igor, você comprou para mim aquele jogo que me prometeu? _ Natanael interrompeu a nossa conversa sem cerimônias.

_Comprei sim e a gente vai jogar juntos, que acha?

_Oba!

_Eu não vou deixar você ganhar dessa vez.

_Olha quem fala, você sempre perde! _ o menino riu.

_Não conta isso na frente dela! _ Igor pediu e suspendeu o menino para que ele sentasse em cima de uma mureta.

_Ela é sua namorada? _ o garoto perguntou, balançando as pernas no ar.

_Não!

_Ah! Ela faz novela também?

_Não! _ Igor riu para mim, constrangido pelo irmão.

_Você também beija ela de mentira?

_Não. Natanael, pára de...

_Ah! Então, beija de verdade?

_Não! Sem beijo, não tem beijo nem de verdade, nem de mentira! Sem beijo nenhum.

_Então, ela é o quê?

_Uma amiga.

_E ela dorme na sua cama?

_Depois eu te explico melhor, vai tomar café, vai... _ Igor pegou-o pelos braços e o pôs no chão.

_Acho que isso vai virar um “caso de família”._ comentei e peguei meu celular da bolsa. _ Ué, acabou a bateria? _ abri-o e liguei. _ Não, a bateria está carregada.

_Eu desliguei ontem à noite, estava tocando. _Igor confessou.

_Você atendeu?

_Não.

Eu apertei o botão para ver de quem era a última chamada. Meu coração quase parou. Era da minha chefe. Olhei para a cara de Igor e percebi que a alegria pela chegada da família havia, momentaneamente, passado.

_Por que não me contou? _ perguntou.

_Eu... _suspirei, sem saber por onde começar.

_Eu falei coisas íntimas para você. _ aproximou-se mais para não nos ouvirem.

_Igor, calma.

_Calma?_ perguntou com voz sarcástica._ Você me enganou.

_Hei! Eu não menti!

_Não, senhora verdade?

_O que queria? _ foi a vez de me irritar também. _ Que depois de você sair correndo, com pânico das suas fãs e de uma possível perseguição de jornalistas, eu estendesse a mão e dissesse: “Prazer, Cristiane, jornalista!”

_Até quando ia mentir?

_Eu não menti! _ enfatizei.

_Omitir. _ consertou.

_Não fale como se eu fosse alguém ruim!

_Eu não sei... _ falou muito chateado.

_Mas eu sei! _ peguei minha bolsa em um puxão com força. _ Eu sei que você é... _ apontei o dedo no seu peito sem camisa. _... Um mimado!

_Quê? _ ele franziu a testa.

_É isso que é! Só porque eu sou uma jornalista não merecia sua confiança?

_Eu te trouxe até a minha casa!

_Ótimo! E daí? Você é alguém tão importante assim?! _ coloquei minha bolsa no ombro. _ Então, enfie onde quiser a sua importância! _ coloquei os óculos escuros e o deixei sozinho com sua arrogância.

Atravessei a cozinha à passos firmes e toda a família estava mastigando em silêncio, depois de ouvir nossa discussão.

Meu celular começou a vibrar.

_Onde você está? _ perguntou minha chefe, já de “ótimo humor”.

_Alguma coisa para mim? _ perguntei.

_Alguma coisa? Você não está conectada ao mundo? Gabriel Rui morreu.

Minha chefe acha que eu já acordo escovando os dentes e vendo no espelho do banheiro uma tela virtual com todas as agências de notícias.

_Nem jacaré pronto? Nada na gaveta?

_Se ele estivesse doente, né, querida? Mas como vou prever um acidente de carro com alguém com saúde por toda essa redação?

_Tudo bem, estou indo para aí. _ disse-lhe.

_Agora, correndo, now!

_Tá. _ desliguei.

_Cris. _ Igor apareceu na porta da varanda.

_... _ não disse nada, só o encarei.

_Desculpe.

Ele ainda tinha muito o que aprender sobre as mulheres de verdade. Ia começar por essa liçãozinha básica de desprezo.

_Guarde seu arrependimento barato para as atrizes que leva para a cama.

_Como pode falar assim comigo, hen?

_Por quê? Eu leio sobre você, meu caro, eu sei com quem andas.

_Não, você não sabe sobre mim. _ corrigiu, magoado, com olhinhos marejados de menino ofendido.

_Vai tremer o queixinho agora? _ ri. _ Adeus, Igor! Eu não convivo com gente que seleciona as amizades pela lista da Fortune ou da Vogue. _ caminhei para o portão e pedi para que o segurança abrisse.

_Está com medo. _ ele rebateu.

Virei o rosto para trás e o olhei pelas frestas da grade.

_Vamos ver então quem tem mais medo! _ respondi e caminhei a passos firmes.

Eu podia ter perdido minha grande matéria, mas não deixaria aquele molequinho estelar me rebaixar só porque não gosta dos jornalistas. Eu estava tão irritada que sentia minhas mãos trêmulas.


Li Mendi

7 comentários:

Li disse...

Ihhhh caramba, esses dois tem gênios muito diferentes.

O Igor parece bem sensível e a Cris bem má, hen? Mas uma coisa a gente não pode julgar ainda, afinal, não sabemos o passado deles...

As aparências tb enganam, será mesmo que o Igor é bomzinho?

rs

Hummmm...

Tá começando a ficar interessante.

Sabe o que acho, que a Cris está testando os limites dele.

Afinal, homem adora desafios... não é?

Veremos!

Laine disse...

kkkkkkkkkkkkk!!! Li, vc é ótima!!!! Jeni e Ruan?? Quando eu li, não me aguentei, comecei a rir e pensei "Essa Li, cheia de surpresas!!"!
Preciso dizer que to amando??? Tá, vou dizer sim! Li, to amaaaaando!!!

Beijão! ;@@

Li disse...

Que bom!
Saudade das meninas do livro anterior... Saudade dos nossos debates.
Isso entristece o coração da escritora.
Mas saber que você está lendo já me move para escrever o próximo capítulo.
Beijos querida!

Li disse...

Ah! Viu que eles tiveram mais filhinhos?
Legal né?! rsrs

Deisinha Rocha disse...

*tapinha básico na testa e balançando a cabeça negativamente...

mal começaram e já brigando????

Li, mada minha...
a Jeni e oRuan, hein?!!!!
não perderam tempo...
rsrs

ah, Li... mas estamos aki, fiéis com vc... pq essa história já pegou um foguinho, daki a poko tá um fogaréu imenso...
rsrs

bjOo ni vc, lindaH...

Li disse...

hhahaahhah

e tem bombeiros por aí para apagar...

ai não vou falar disso, não deixem eu falar disso.

tampei a boca

:X

hahaaaaa

beijocas lindocas da Li

ni vcs todas, ninas

sarah disse...

Ai q lidno a familia reunida tava com sdd da Jeni e do Ruan!!!
hauhaha
Ai vamos ver o q isso vai dar ja to ate sentindo um xeirinho d odio e amor no ar!!!
bjs