20 de nov de 2007

Cap 17: Os heróis também morrem (Igor e Cris)

Virei a maçaneta da porta e a empurrei para frente. Aparentemente, nada demais. Um quarto de garota. Colcha rosa na cama, armário de quatro portas de mogno. A janela aberta fazia a cortina de babados balançar com o vento. À minha direita, uma escrivaninha e uma poltrona bege. Mas, eu assustei-me com o que vi quando virei o rosto para o lado esquerdo, conforme a porta encostou na parede. Minha mão escorregou da maçaneta.

Dei dois passos à frente e levei a mão à boca, depois ela ficou parada no queixo. Meus olhos não conseguiam apreender tudo de uma só vez.

_Não acredita, não é? _ a voz da mulher atrás de mim me assustou.

Virei-me para ela e não conseguia dizer nada, estava completamente abismado.

_Mas a Cris é... Ela não pode... Ela... _ perdi a fala, voltei a olhar a parede.

_Você sempre foi o Deus da minha filha. _ deu-me uma tapinha no ombro e sentou-se na poltrona.

Eu continuei parado com as mãos no bolso, vendo meu rosto em todos os pôsteres e fotos coladas. Recortes de revistas, jornais e cartazes de filmes formavam um enorme mural que tomava toda a parede.

_Ela não queria saber que era mais velha. Sempre foi sua fã. Minha filha coordenou seu maior fã clube. Mas tudo acabou.

_Acabou? _ franzi a testa e me sentei na cama virada para a parede. Será que ela dormia naquela posição para ficar me admirando nas fotos? _ Nunca poderia imaginar. É quase impossível. Eu era só um garoto.

_A Cris amadureceu de uns anos para cá. Sempre foi muito infantil. Não sabemos porque ela tinha tanta fixação por você.

_Bom, algumas adolescentes passam por essa fase, colam alguns cartazes... _ olhei para a parede e não tive tanta certeza de que aquilo era normal.

A mulher apontou para a prateleira. Olhei para trás de mim e vi dezenas de fitas cassete.

_Ela gravou todas as novelas, todos os filmes e entrevistas. Tudo. Sua vida está ali.

_Não pode ser... _ ri, estupefato.

_Procure uma caixa embaixo da cama. _ pediu.

Abaixei-me e achei uma caixa de papelão. Abri-a e tirei de dentro um rolo pesado.

_Nãooo. _ levantei as sobrancelhas e olhei-a incrédulo. _ Ela fez isso para mim?

_Não chegou a terminar, desistiu.

Senti o peso do rolo feito de folhas de papel A4 escritas “eu te amo” infinitamente.

_Ela dorme aqui?

_Não. Ela nunca mais veio aqui. Nem entra nesse quarto.

_Por quê? Continuo confuso.

_Um dia ela ganhou um prêmio da sua produtora para te conhecer. Só que, quando estava na ante-sala para te ver, ouviu você discutir com sua assessora. Você tinha chegado de uma festa bêbado e falou coisas horríveis. Que não queria ver fã chata nenhuma, porque você achava que eram umas bobas, que te irritavam. Ela escutou tudo e saiu correndo. Os heróis também morrem.

_Lamento por isso.

_Ela saiu daqui dizendo que seria o dia mais feliz da vida dela. Falou que pediria que você tirasse a camisa e a desse autografada para poder sentir seu cheiro para sempre.

Lembrei de Cris dormindo na minha cama e imaginei o que ela deve ter sentido na minha casa, tão perto de mim.

_A minha filha não queria ouvir seu nome depois disso. Simplesmente ficou com ódio de você.

_Eu repito, lamento profundamente. Eu também era só um garoto.

_Ela foi logo morar perto da faculdade e ficou independente. Hoje, leva a vida sozinha. Só que não estava em seus planos cruzar com você naquela festa. Por isso, não manche a imagem e a credibilidade da minha filha. Já basta ter visto ela chorar nessa cama por um moleque bêbado.

Engoli em seco. O telefone começou a tocar na sala e ela levantou-se.

***

Senti que estava tonta. Os móveis da sala pareciam dançar no ar. Por que eu estava tão mal? Deixei a bolsa no sofá e meu estômago começou a se revirar. Corri para o banheiro e vomitei no chão, antes de alcançar o vaso.

_O que está acontecendo comigo?

Levei a mão à testa. Estava queimando.

Disquei o número da casa da minha mãe com as mãos trêmulas. Chamou quatro vezes.

_Mãe, eu não estou bem... _ disse, sem forças para ficar em pé.

_O que você tem?

_Eu não sei, meu corpo está todo dolorido... Mãe, vem aqui, vem rápido.

_Estou chegando aí!

Desliguei e deitei no sofá sem forças.


Li Mendi

8 comentários:

Li disse...

:) Olá, queridas, meninas!!!
Que bom ter vocês aqui!
Ora ora... então a Cris era uma fã aficcionada?
Danadinha, não contou para a gente.
Hei, por que ela está mal?

hummmmm acho que alguém estará à seu caminho again! rs

Beijos.

Gostando?

Laine disse...

Eita que eu peguei o capítulo saindo do forno!!
O que vc tá fazendo com ela, hein li?? heueheuhue! Quem será que vai dirigir até a casa da Cris com a mãe dela? hueeheuheuehuehue!!!!

Gostando??
Demais!!!

Beijão Li!!

Deisinha Rocha disse...

*cara de suspense...

será q ela vai levar o Igor pra cuidar da Cris????

PS1: filho de peixe, peixinho é, né??? tinahmos o ruan e suas portas, agora, temos igor e suas portas...

rsrs

PS2: acho q ela comeu alguma coisa na casa do Igor, na festa, q não lhe fez bem...

Li, bjOo ni vc linda...

aninha disse...

nossa!!!!!! que doido isso cara!!!!! entaõ a Cris era fã do Igor!!!! e o que ela tem ??? aiaiai...

carol disse...

Li!!!

vou demorar pa passar aki de novo, pq meupc estrago (to numa lan house)...

mais assim que der eu volto pra ler, viu??

tah fikandu muito bom!!!

Bjuu

mari disse...

Li querida...
Uhmmm....será que o Igor vai levar a mamãe da Cris....Q dúvida né??? huahauhauahua....

Tá tá muito legal só não tenho aparecido pq a facul tá me sugando...passei o feriado estudando...q absurdo...huahuahua.

Como está a contagem pro tão esperado aspirantado????

Bjkitas mil procê

sarah disse...

Tadinha q coisa heim??
mas oq sera q ela tem?
to com medo!!!!

Li disse...

Mari a contagem tá cada vez me dando mais ansiedade.
Eram 740 dias para mim e agora são 4.

Tem idéia? Surreal!!!!!!!

Estou mega feliz.
Beijos para todas.