26 de nov de 2007

Cap 19: Proposta (Cris)

Sentei no sofá da sala e deixei a cabeça caída para trás, olhei o teto do meu apartamento. Depois de uma semana, eu estava revigorada do vírus que me deixara de cama. Era boa a sensação da ausência de dor. Acariciei o pêlo da minha gata deitada ao meu lado.

Como eu iria pagar o aluguel sem dinheiro? Acabaria tendo que voltar para casa da minha mãe. Mas, em meio a estes pensamentos preocupantes, me veio o rosto de Igor sempre sorridente à memória. Puxei a minha gata para o colo e beijei sua cabeça. Ele fora embora na primeira noite em que eu estava no hospital e não o vira mais. O que queria me pedir?

A campainha tocou e eu senti um frio na barriga, deveria ser o dono do apartamento cobrando o dinheiro. Levantei-me ao terceiro toque e atendi o interfone.

_Oi.

_Oi, é a assistente do Igor. É você, Cristiane?

_É, sou eu, já cheguei em casa.

_Pode me receber?

_Sim. _ apertei o portão e liberei a entrada.

Quando ficamos frente a frente, eu percebi que ela não estava muito contente por estar ali. Olhou-me com desdém e sem sorrisos.

_Sou a Karen, assistente do ator Igor Frinzy.

_Hum, sei. Eu estava na festa...

_Eu li sua matéria que, aliás, me deu um pouco de dor de cabeça.

Dei passagem para que entrasse.

_Fique à vontade. _ falei-lhe.

Sentei no sofá e indiquei um lugar para ela.

_Eu não vou demorar. Estou aqui a pedido do Igor. Ele quer vê-la.

_ Por que ele não me ligou? _ franzi a testa.

_Porque ele é um homem ocupado.

_Ãnh.

_Você poderia vir comigo?

_Agora?

_Eu imagino que não esteja fazendo nada, não trabalha mais.

O Igor tinha contado ou saiu em todos os jornais, durante a minha estadia no hospital, que eu era agora uma ferrada completa?

_Ele acha que eu sou uma marionete que pode conduzir como quer? Ele apita e eu saiu o correndo?

_Senhorita Cristiane, como eu falei, ele é um homem ocupado e está com a hora do almoço livre.

_O que ele quer?

_Não sei.

_Ele não é um homem ocupado? Achei que pensasse por ele também.

_Eu penso, mas, neste caso em particular, eu quero deixar claro que ele pensou sozinho, porque não apóio.

_Não apóia em quê?

_O motorista do táxi não vai querer ficar esperando muito tempo lá embaixo.

Olhei para os lados e pensei um pouco. Eu podia mandá-la embora, mas do que ela estava falando? O que Igor iria me pedir? Droga! Por que eu não conseguia conter minha curiosidade?

Levantei e fui até o quarto. Coloquei um vestido tomara que caia florido e peguei minha bolsa.

_Pensei que fossemos almoçar em algum lugar. _ comentei, quando percebi que estávamos na rua da casa de Igor.

_Em público? _ ela riu. _ Para verem vocês dois juntos? Obrigada, eu quero estar com este trabalho ao menos essa semana. Tenho muitas coisas a fazer para ter que bolar uma desculpa mirabolante para o fato de vo-cê estar almoçando com ele.

_Hum.

Saímos do carro e o segurança abriu o portão.

_De volta a essa casa... _ falei baixinho.

_Não foi por convite meu. _ ela rebateu, caminhando à minha frente. Abriu a porta e eu a segui.

Permaneci em pé na sala vazia e depois de dois minutos Igor apareceu com um sorriso largo.

_Melhor? Soube que saiu do hospital.

_É. Obrigada por ter pago a conta. _ encolhi os ombros e coloquei as mãos para trás.

_De nada. _ ele parou na minha frente e eu senti seu perfume. O cabelo molhado indicava que saíra a pouco tempo do banho. _Você deve estar curiosa para saber por que te chamei.

_A curiosidade é minha força e minha ruína, às vezes. _ sentei no sofá e ele sentou no outro, do lado oposto, longe de mim.

_Eu sei que você está sem emprego e também tenho consciência de que isso foi culpa minha.

_Como assim? Você agiu para que eu fosse mandada embora?

_Não assim tão friamente... Mas a pressão da minha assessora foi mais forte.

_Obrigada por me deixar ciente sobre os métodos de tortura que antecederam a minha morte.

_Dramática. _ riu.

_Não tem graça! Eu estou sem emprego, sem grana, posso ser despejada. Isso não é um joguinho, é a minha vida!

_Eu sei, por isso você está aqui!

_O que quer de mim, Igor?!

_Eu quero te propor uma coisa que pode resolver parte dos seus problemas.

_O que droga você quer me propor?! Fala logo!_ irritei-me.

Li Mendi

6 comentários:

Li disse...

Hum, se ela está na casa dele é sinal de que a raiva passou... Aliás, era raiva o que ela sentia, o que a moveu escrever a matéria?

Pô, Igor, fala logo! aff ¬¬

Alguém chuta?

Beijos.

_________________________

A viagem foi ótima! Me diverti muito e contei tudinho aqui

www.trilhadavidalucy.blogspot.com

Li

sarah disse...

nossa fikei o fds td tentando adivinha oq ele vai propor!!!
Ah dona Li q malvada só amanha agora!!hauaha
linda vc mereceu o aspirantado!!!
bjs se cuida e seje mt feliz

guto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Deisinha Rocha disse...

hunfff...
só vc naum, Cris...
tbm já to irritada e kerendo saber o q ele qr propor...

hunfff...
mais um capitulo sem saber...
dona Li, dona Li...

rsrsr

acho q pode ser uma oferta de emprego... porémmm...

Li, linda, a Sara já disse tudim, vc mereceu o aspirantado...

rsrs

bjOo ni vc...

mari disse...

Uhmmmm.....
Eu acho q ele vai propor pra ela organizar e administrar um site em dele...
Será????

Bjkitas Li

aninha disse...

essa Karen é muito metida a besta!!!!!! odeio ela!!!!! e o que será que o Igor vai propor ???? aiaiai!!!!! mas tomara que seja algo muito bom!!!!!!!! e que faça a Karen se remoer de raiva!!!!

meninas, o diário de Carolina está entrando na sua segunda fase!!!!

espero a visita de vcs!!!!

www.odiariodecarolina.zip.net