9 de nov de 2007

Cap 7: Procurando erros (cris)

Olhei a sala, cada canto, objetos, texturas. Tons de azul e branco, quando não, metálicos. Aquele lugar era como a alma do único habitante da casa: sem calor, fria, calculada, medida, ordenada. Não havia portas-retrato, porque também não existia vida pessoal para ele.

Permaneci olhando para frente. Eu não conseguia ainda emitir qualquer palavra depois do que acabara de ouvir. Quem sabe os leitores teriam o mesmo choque, quando soubessem que o ator que já fez mais de 6 filmes e 5 novelas era só um garoto no corpo que já se faz homem? Se meus dedos estivessem sobre o teclado agora não demoraria mais que alguns segundos para digitar a manchete.

"Igor Frinzy: Eu tenho síndrome do pânico".

Virei o rosto para ele lentamente e encarei seus olhos cor de mel. As sobrancelhas bem desenhadas, como feitas por uma costureira celestial que borda ponto a ponto os riscos pretos, que terminam curvos no contorno final. O cabelo picotado em fios dourados que lhe traziam uma áurea dourada e ingênua.

_Se você disser qualquer coisa agora, ajudaria bastante. _ ele comentou com humor.

_Não seria você que deveria dizer? _ repassei a pergunta.

_Eu sinto pânico, um medo sem explicação. Bate uma ansiedade, como se alguém estivesse me vigiando e esse alguém me persegue. Sinto que meu coração dispara e eu perco a respiração. Às vezes, dá vontade de desmaiar também.

_Já procurou um médico?

_Não.

_Mas tem que procurar! _ disse-lhe enfática. _ Onde estão os seus pais? Eles sabem?

_Estão longe... Não sabem. Eu moro sozinho. É mais fácil ficar aqui na cidade, é perto do trabalho e também já me acostumei.

_A ser sozinho? Não acredito que alguém possa se acostumar a isso!

_Eu estou bem. _ ele me interrompeu.

_Agora. Mas e poucas horas atrás?

_Eu não queria ter feito você passar por isso.

_Não se preocupe comigo. _ cortei-o.

_Nem comigo.

Nós ficamos de boca aberta, com o discurso interrompido até que rimos.

_ Nunca pensou que estaria aqui na minha casa, falando comigo e ouvindo esse tipo de história chata e infeliz, não é?

Eu não respondi prontamente. Ele estava realmente certo, eu não poderia nem sonhar com esse encontro do destino.

_Pela sua cara não parece ser minha fã. _ observou.

_Ah! Não? Você acha que eu tenho cara de quê? De ser sua mãe? _ fingi que estava brava.

_Nãooo. Mas sinto em você um grau de seriedade.

_Sente? Como assim sente? _ franzi a testa.

Ele estendeu a mão e pegou a minha, apertou-a com força e continuou segurando. O que ele estava sentindo? Por que estava me olhando tão fixamente? Não resisti e puxei a mão de volta amedrontada.

_Viu?_ perguntou-me.

_O quê?

_Você não consegue nenhum grau de intimidade. Existe uma barreira que te coloca em uma posição superformal. _explicou-me.

_Hei! Eu sou só uma garota normal de 25 anos. Tá... quase 26.

_Não é a idade. São os traços do seu rosto...

_Rugas?! Essa não, eu sabia que devia ter aceitado a revista com os cremes da Natura da minha amiga para escolh...

_Esquece... _ ele riu baixinho e balançou a cabeça para os lados.

Igor se levantou, deixou o copo na mesa de centro e foi até um canto da sala, sem tirar os olhos de mim.

_O que está fazendo? _ perguntei.

_Vendo você. _ ele foi para o canto oposto.

_Pára com isso, está me angustiando!

_Não se mexe. _ pediu.

_Não estou entendendo... _ senti-me constrangida e ele parou próximo à porta que dava para o corredor.

_Esse é o ângulo perfeito. _ sorriu.

_Quê? _ franzi a testa.

_A luz da varanda no seu lado direito forma o contorno do seu rosto e deixa o lado esquerdo na zona de penumbra.

_Eu disse pára com isso! _ mostrei que estava irritada.

_Desculpe. _ ele sentou-se ao meu lado.

_Eu não sou assim! Eu não consigo fingir nada, nem tentar ser quem não sou, nem... _ comecei a gaguejar.

Igor recostou a cabeça para trás no sofá e a virou em minha direção com aquele mesmo olhar de quem contempla a cena.

_Eu não sei como vocês conseguem ser atores. _ balancei a perna em um tique nervoso.

_Não é tão difícil. Bom, não para mim.

_Eu nunca daria um beijo falso! _ observei.

_Daria sim.

_Não daria! Eu não consigo ver aquelas cenas do cinema e acreditar que...

_Não sentimos nada?

_É! _respondi.

_Deixa eu ver se te faço entender. _ ele ficou de pé. _ Levanta.

_Eu? O que vai fazer?

_Anda, levanta! Nem está interpretando o papel da garota normal de 25 anos que topa qualquer parada.

_Eu não disse que topava qualquer parada!

_Vai, anda.. ou não quer saber?

_Saber o quê?

Igor inclinou-se para frente e pôs as mãos sobre os joelhos.

_Eu juro que não vou te beijar, se é esse o seu medo, garota de 25 anos que não topa qualquer parada.

_Isso é ridículo! _ fiquei de pé e cruzei os braços.

_Vem mais para cá, aí não tem espaço. _ puxou-me pelo antebraço como se eu fosse uma coisa. Será que isso era parte do que estava tentando me mostrar com não "sentir a cena"?

Paramos em um canto amplo da sala, longe do sofá e perto da varanda.

_A câmera está ali. _ apontou para o meu lado direito. _ O seu enquadramento está há dois passos atrás de você e dois atrás de mim. Não pode fazer nenhum movimento brusco.

_Ãnh.

_Imagina uma história qualquer aí. _ pediu.

_Hum, não sei... Vai você que está mais acostumado.

_Ok. A sinopse, lá vai: moramos em uma aldeia pobre. Você é uma professora de piano viúva.

_Isso não parece com "ter 25 anos"... Viúva?

_Não é você, é ela!

_Tá.

_Eu sou o filho de um dono de terras rico e você vai me ensinar a tocar piano.

_E o que tem isso com o beijo? _ perguntei, porque essa era a parte que me perturbava.

_As pessoas estão comendo pipoca no cinema. Pode ouvir o barulho da pipoca sendo mastigada?

Eu sorri, aquilo era loucura! Ele não era normal, definitivamente.

_E o barulho da Coca-cola no canudinho? Aquele casal ali está se agarrando! _ ele olhou para o lado. _ Hei! Cara, vai procurar um motel, pô.

Eu ri e me descontraí.

_Você saiu do enquadramento. _ brigou.

_Ok. Aqui?

_Então, você está apaixonada por mim, mas não quer admitir. _ informou-me.

_Hum. _ cerrei os olhos e cruzei os braços para ver até onde isso ia.

_Mas eu também não quero encarar isso. Até que um dia, eu invado a sua casa obstinado, porque vai ser o dia que eu vou te agarrar, você não me escapa.

_Ai, eu estou com medo.

_Pára de ser boba. _ chateou-se.

_Tá. _ não atrapalhei mais. Eu precisava correr para o trabalho e ele queria brincar?! Como eu podia aceitar isso?

_Eu vou ser o diretor também. _ avisou e colocou uma música para tocar no som da sala.

Trilha Sonora (clique aqui)

_Que música é essa? Você escuta essas músicas antigas?! _ ri, mas ele me ignorou.

Igor caminhou para a porta do corredor e sumiu. Aonde ele foi?

_Não se esquece, Cris. Viúva, aldeia pobre e um desejo louco. _ só ouvi sua voz. _Silêncio no estúdio. Luz, ação! _ Depois de dizer isso, Igor apareceu com um semblante completamente estranho. Aquilo era tremendamente assustador. Ele parecia querer dizer uma coisa, mas não dizia, estava sem ar. _ Senhorita Helena, eu... _ ele riu, envergonhado, nervoso. _ ... Eu não posso mais, eu... _ Igor caminhou resoluto para mim e me puxou pela cintura. _ Corta! Corta! _ ele disse, virando de costas para poder fazer a voz do diretor. _ Igor, você está falando muito baixo, Cris faz uma cara de quem sabe do que ele está falando!

Igor voltou para a porta de novo.

Uau! Eu estava me sentido em um set de cinema.

Ele entrou mais uma vez e conseguiu repetir exatamente os mesmos gestos até a parte em que me puxa e olha para mim muito perto dos meus olhos.

_Corta! Ela está suando muito. Cadê a direção de arte? _ gritou.

Antes que virasse de novo para sair, perguntei quantas vezes teríamos que repetir.

_Já perdeu o romantismo? A gente nem chegou à décima tentativa! _ riu e voltou para a porta. _ Silêncio. Ação!

Dessa vez, Igor, depois de me puxar para si, pôs sua mão sobre a minha boca e beijou-a para que não nos tocássemos nos lábios.

_Tá ruim. Corta! Começa mais para a esquerda, sem língua! Depois a gente filma do outro ângulo. Vamos lá pessoal! Esse beijo tem que sair hoje! _ ele bateu palmas e voltou para porta, mas dessa vez parou e riu, voltando a ser ele mesmo. _ Não vou recomeçar. Percebe que chato?

_Você quebrou a magia! _ reclamei e ele sentou-se no sofá. _ Como vou acreditar em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa ou ver um beijo bonito do cinema e sentir um frio na barriga de novo?!

Igor riu alto, movendo os ombros.

_Você consegue se emocionar vendo? _ perguntei.

_Depende... Se for bem feita a cena, sim, mas em geral, eu fico achando erros e pensando como faria melhor em outro ângulo, com outra luz, aí quebra o clima.

Eu entendia o que Igor dizia com procurar erros. Era o mesmo que eu fazia com os outros jornais e revistas. Sempre achava que poderia ter sido feito de outra forma.

_Eu não gostaria nunca de me apaixonar por você, não saberia distinguir quando estaria atuando.

_Não faça isso. _ advertiu.

_O quê?

_Não se apaixone por mim.

_Não que eu vá, mas... por que me diz isso?

_Existe um mundo do qual eu gostaria de te preservar. Sabe o filme "A vida é Bela"?

_Claro!

_Eu seria o seu pai que não lhe deixaria ver o que é real do lado de cá.

_Fala como se fosse horrível o seu mundo e suas fãs, os zumbis medonhos do Resident Evil.

_Eu não as vejo.

_Como assim?

_Quando você caminha na rua, as pessoas não se dão conta de você a menos que tropece, seja atropelada ou comece a gritar... Elas não te vêem, mas você as vê. No meu caso, todos me olham, mas, já é tão natural isso, que sou eu que não os vejo mais.

_Isso não pareceu acontecer hoje à tarde.

_É justamente esse mecanismo que anda meio enferrujado. Eu preciso consertar.

_Promete para mim que fará isso?

_Tá.

_Quando você atravessar aquele portão e for embora, você continuará andando nas ruas sem que ninguém te observe, na verdade, quando você acha que elas estão olhando é só você se olhando. Isso é uma coisa que não desejo que te tirem nunca.

_Eu tenho que ir. _ levantei.

_Tudo bem. Vou chamar um táxi para você.

_Obrigada. Igor...

_Oi.

_Talvez o que você acha que as pessoas vêem também seja só coisa da sua cabeça.

_É, mas elas estampam nos jornais.

Eu saí da casa do Igor com uma angústia, uma sensação de ter feito muito mal a alguém. Não podia dizer-lhe que era jornalista. Ao mesmo tempo, sem a permissão da fonte, como eu publicaria aquilo tudo?

Esse era um problema à parte, porque agora eu estava encrencada. Todo aquele tempo fora da redação. Como apareceria lá de mãos vazias?


Li Mendi
(www.lianotacoes.blogspot.com)

8 comentários:

Li disse...

Oi, Leitoras!
Mudei o layout por causa do pedido de uma das leitoras, que não gostava do fundo preto.

explicações dadas e agradecimento pelo carinho das observações...

vamos ao capítulo de hoje.

Hummmm... Acho que o Igor vai ficar menos sozinho agora.

E Cris, hen? Totalmente enrolada com sua fonte.

E a trilha sonora de hoje é tudo, não? A música fica na cabeça:

Total Eclipse Of The Heart

Turn around
Every now and then I get a little bit lonely
And you’re never coming around
Turn around
Every now and then I get a little bit tired
Of listening to the sound of my tears
Turn around
Every now and then I get a little bit nervous
That the best of all the years have gone by
Turn around
Every now and then I get a little bit terrified
And then I see the look in your eyes

Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart
Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart

And I need you now tonight
And I need you more than ever
And if you’ll only hold me tight
We’ll be holding on forever
And we’ll only be making it right
Cause we’ll never be wrong together

Once upon a time I was falling in love
But now I’m only falling apart
It’s nothing I can do a total eclipse of the heart

Turn around
Every now and then I know you’ll never be
The boy you always wanted to be
Turn around
Every now and then I know you’ll always be
The only boy who wanted me the way that I am
Turn around
Every now and then I know there’s no one
In the universe as magical and wonderous as you
Turn around
Every now and then I know there’s nothing
Any better there’s nothing that I just wouldn’t do

Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart
Turn around, bright eyes
Every now and then I fall apart

I need you now tonight
And I need you more than ever
And if you’ll only hold me tight
We’ll be holding on forever
And we’ll only be making it right
Cause we’ll never be wrong

Together we can take it to the end of the line
Your love is like a shadow on me all of the time

I don’t know what to do
I’m always in the dark
We’re living in a power keg
And giving off sparks

I really need you tonight
Forever’s gonna start tonight
Forever’s gonna start tonight

Once upon a time I was falling in love
But now I’m only falling apart
Nothing I can do a total eclipse of the heart

Once upon a time there was light in my life
But now there’s only love in the dark
Nothing I can say a total eclipse of the heart

Now there’s only love in the dark
Now there’s only love in the dark
Now there’s only love in the dark
Now there’s only love in the dark
A total eclipse of the heart

Now there’s only love in the dark
Now there’s only love in the dark
Now there’s only love in the dark

A total eclipse of the heart

Once upon a time I was falling in love
But now I’m only falling apart
Nothing I can do a total eclipse of the heart

Once upon a time I was falling in love
But now I’m only falling apart
Nothing I can do a total eclipse of the heart.

Deisinha Rocha disse...

Mas Igor...
é tão óbvio... a barreira q há entre vcs é a profissão dela...

ta cada vez mais kente...
anciosa pra qndo pegar fogo, Li...

rsrs

bjOo no vc...

Li disse...

rsrsrrsrsr
Beijo no cê, nina!

lulu disse...

É, e os pais dele naum sabem de nada? Afinal ele tem só 21 aninhos é um bebê!

Li disse...

um bebê...
alguém ai quer pegar p criar haha?

Lucy disse...

Aiaiai, agora sim começa o grande dilema!!! E isso porque ela ainda nem tá oficialmente gostando dele...

Mas vamos vamos!!! Agora que eu kero ver a ética da garota em ação!!!

Deisinha Rocha disse...

eu kero...
eu pego pra criar, com maior prazer...
rsrs

Li, fico lindoOo o ovo visu...
ontem nem tava dando pra ver, sei lá pq... mas hj vim ver se tinha cap novo e...
divino...

-td bem, eu naum me incomodava com o outro visual, mas q esse tá mais tchan, isso tá...

rsrs

bjOo lindaaaaaa...

sarah disse...

Ai Li q maneiro!!!
nossa to amando já isso td aki!
bjs parabens