27 de mar de 2008

Cap 25: Visibilidade (Igor)

Entrar naquela escola no dia seguinte a briga me fez olhar para todos com desconfiança. Só eu tinha aquele sentimento de ser vigiado o tempo todo? Ninguém se rebelava para acabar com essa espécie de perseguição a intimidade alheia? Rui teve uma boa explicação para isso:

_O veneno, quando não mata, cura. _ mastigou o seu hambúrguer deixando o alface cair no colo. Pegou e colocou na boca ainda cheia.

_Como? _ perguntei.

_Assim como ali é um lugar para alfinetar as pessoas, também serve como pódio para vangloriar a garota que ficou mais magra, o cara que é um ótimo jogador e arrasou no campeonato ou divulgar uma festa e tudo que rolou. Enfim, tem seu lado bom.

_Hum... _ bebi minha coca-cola de latinha e fiz uma careta, já estava quente. _ Parece um mundo de celebridade, mas na versão para pessoas anônimas! Elas mesmas alimentam o sistema e elegem quem deve ser o centro das atenções. Mas, mesmo que falem mal delas, ficam felizes, porque estão sendo consideradas mais importantes?!

_Você pega rápido o espírito da coisa. _ ele arremessou a bolinha do guardanapo no cesto de lixo e errou.

_E como faz para entrar no sistema?

_Tem que merecer... _ levantou-se e pegou sua mochila. O sinal havia tocado.

Ainda fiquei ali por um tempo. Olhei para as garotas sentadas na escada mais à frente. Michele ocupava o degrau mais alto, enquanto as outras as olhavam de baixo, admiradas com sua beleza loira.

Voltei para a aula e me preparei para um teste de geometria muito chato. Resolvi algumas questões e depois fiquei coçando a minha cabeça com um lápis. O namorado de Michele passou por mim e deixou cair um papel em minha mesa. Abri-o e vi que estavam as respostas da prova. Não entendi, por que ele...

_Igor? O que é isso em sua mão? _ ouvi a voz da professora e um arrepio percorreu minha espinha.

_Nada. _ amassei e senti que podia molhar o papel com o meu suor transpirando nas mãos.

Olhei a cara sorridente dele atrás dos ombros da professora e implorei para Deus me safar daquela e fazer a professora acreditar em mim. Ela se aproximou, andando a passos lentos entre as cadeiras e com braços cruzados.

_O que é isso? _ pegou o papel.

_Professora, eu costumo corrigir o gabarito da prova em casa, quando a escola lança na Internet. Mas eu não sou muito bom de memórias para seqüência de letras, então, anotei para mim.

_Você quer que eu acredite nisso?

_Não tem ninguém sentado na minha frente, nem atrás, como eu iria passar esse papel, ou pegá-lo?

Ela me olhou por cima dos seus óculos e depois mais uma vez para o papel.

_Se é assim, por que anotou a letra “a” na resposta número um e marcou na sua prova a letra “b”? Por que marcou no papel a letra “c” e na prova letra “b”?

A turma riu baixinho e o mentor da minha execução me encarava. Fechei os olhos lentamente, quando ouvi a ordem para sair. Não iria agora desmentir a minha própria.

_Você vai explicar isso para a diretora.

Caminhei pelo corredor como quem vai para o abatedouro. Meu pai passou a vida inteira dizendo que colar era uma vergonha. Ele iria me pendurar por ganchos na pele em cima de uma árvore, como fazem os índios para punir um transgressor!

Sentei diante da diretora que olhava para o pedaço de papel rasgado como se procurasse meu DNA ali.

_ Por que colou, Igor? Você não precisa disso.

_Eu não colei!

_Ah! Não?

_Não... Se eu contar a verdade não vai acreditar...

_Experimente.

_Um dos alunos passou pela minha mesa e jogou o papel. Eu apanhei para ver o que era e nesse momento a professora viu.

_Está dizendo que ele queria te ajudar e isso não seria cola?

_Ele queria me prejudicar. _ consertei.

Eu, no lugar dela, também me acharia ridículo contando aquela historinha, mas não tinha escolha.
_Nós brigamos ontem e ele queria descontar...

_Hum...

_Eu tenho várias respostas diferentes das do papel. Isso prova que não colei! Eu sei que pode parecer mentira, por isso, não contei a verdade para a professora.

_Quem foi o aluno que fez isso?

_Tiago Matos.

Ela pegou o telefone e pediu que a secretária o chamasse. Eu poderia ser punido, mas ele não ficaria de fora dessa. Se é para se ferrar, então, vamos juntos!

***
---> Bastidores: Será que a situação de Igor vai melhorar ou piorar? Você verá no próximo capítulo. Imperdível!

2 comentários:

elaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laine disse...

Ih, que armação! A situação do Igor só pode piorar depois disso mas com vc, Li, as coisas sao imprevisíveis, kkkkkkk!!
Beijão!!