24 de abr de 2008

Cap 40: Eu era a única platéia (Cris)

Meu coração era uma bomba relógio antiga que se esqueceu de explodir. Tantos anos gostando e admirando aquele rapaz. Mais outros para me desintoxicar do seu mito e tentar enxergá-lo como um ser humano normal. E apenas alguns minutos de proximidade para esquecer todas as lições. O coração é burro, não aprende, não quer aprender, ele tem sua lógica de felicidade.

Tive medo de estar apenas seguindo o impulso de qualquer fã que quer agarrar seu ídolo. Um pânico de bancar o papel de idiota e me cegar com uma paixão de filme.

Mas, a gente não pede para a vida ser normal, pelo contrário, luta por qualquer tremor que a abale. Agora estava ali fora do eixo, entre duas bocas quase se tocando. Eu era o próprio espaço mínimo que nos separava. Sua respiração quente saindo das narinas sobre minha bochecha e seu peito arfando encostado no meu.

Eu era só a redatora de seu livro e ele, um grande ator, o queridinho da tv e das telas do cinema. Parecia tão grande que eu não poderia macular o privilégio de lhe desejar. Só as estrelas lindas e modelos estariam à sua altura. Mas, eu não queria atingir status de qualquer coisa sua, só desejava aquele beijo.

_Igor, você é muito novo... _ eu comecei tão convarde que pensei estar possuída por outro eu. _ ... Está confundindo as coisas.

_Eu estou confundindo? _ ele se afastou e vi raiva em seu rosto. Não se deve contrariar os garotos, não estão preparados para perder, simplesmente não admitem. _ ... Eu sou um idiota mesmo!

_Não disse isso. _ consertei.

_Não, não, Cris! _ ele balançou as mãos no ar, fazendo sinal negativo para que eu parasse de falar, porque não queria ouvir. _ Eu sei muito bem o que você diz! Você mente para si mesma. _ apontou para mim com o dedo indicador e acusatório. _ Essa é a única explicação que encontro para sua fraqueza. Eu vejo nos seus olhos que você me quer também! Vamos jogar limpo aqui!

Virei de costas e fechei os olhos, apertei-os com força.

_Eu nunca devia ter vindo aqui! _disse.

_Igor? _ chamei.

Ouvi o estrondo da porta batendo. Atravessei a sala e a reabri. Alcancei-o no corredor a tempo de que não descesse as escadas. Puxei sua camisa até que esta se esticou ao máximo e ele voltou um passo atrás como uma corda elástica. Virei-o para mim e seus olhos eram duros e frios. Puxei-o pela mão para dentro do apartamento outra vez e ele veio trotando os pés, literalmente arrastado. Fechei a porta e ali Igor ficou de pé.

Recompus-me em uma distância de dois passos. Nós éramos um eclipse. Ele em minha frente irradiava a beleza e a vivacidade que sobrepunham minha covardia cinzenta. Minhas mãos transpiraram e o coração deixou a bomba detonar serotonina pelas veias.

_A gente pode voltar à cena? _ perguntei em um sorriso cândido e tímido.

Ele precipitou-se sobre mim e uniu sua boca à minha como se estas nunca tivessem sido separadas desde todos os tempos. Agarrei-lhe com cuidado os cabelos com os punhos fechados, experimentando a seda daquele toque. Senti-lhe as costas, os movimentos, o seu corpo de homem. O seu cheiro de perfume com odor emadeirado me inebriava desde as narinas até as entranhas.

Sua boca desceu pelo meu pescoço e fez a mistura dos deuses: pele, suor, saliva e sua língua. Revirei os olhos em um transe e senti a boca seca. Não pensem que meu superego não tentou todas as incriminações sobre aquele ato. Mas, eu não era cabeça, era um coração pulsando forte e dolorido de tanta potência que podia enfartar no peito. Então, que eu morresse assim, sentida, possuída, desejada, entranhada naquela possessão carnal.

Igor se livrou abruptamente dos botões da minha blusa e eu ainda relutei em um ato involuntário, quando vi, já não havia blusa mais. Era uma mágica de poucos gestos, alguma força e um alto teor de volúpia. Abracei seu pescoço e deixei que descesse o rosto para encontrar o que procurava. Suas mãos puxaram a camisa para o alto.

Eu era a única platéia.

Ele arremessou a camisa para longe e veio em músculos, peitoral e braços torneados se livrar do resto que me impedia de ser uma só com ele. Caí sobre o sofá com sua mão segurando minha nuca e entreguei-lhe os lábios, a alma, o corpo, o amor guardado.

Quando acordei daquele experiência espiritual pura e elevada, vi seu rosto suado e sonolento. Sorrimos. Permanecia quieta e acolhida no abraço confortável e seguro.

_Cris...

_Hum. _ apoiei a cabeça na mão e fiquei em posição de admiração.

_Você acha que vamos precisar refazer a cena?

Eu ri um riso leve, gostoso e feliz.

_Ahh, eu acho. Talvez, alternar os cenários, o figurino...

_Você está começando a pegar o jeito da coisa. _ sorriu e afastou meus cachos do cabelo para trás. _Sabe como me sinto?

_Com dor nas costas? _ ri e me levantei do sofá. _ Isso aqui é muito apertado. _ catei as nossas roupas do chão.

_Sinto que encontrei você.

Eu parei de empilhar as peças no braço e o olhei.

_Eu estava esperando achar você.

_Ah! Tirou isso de alguma fala, né? _ tentei levar para o lado da brincadeira.

_Nunca foi assim, nem desse jeito...

Eu fiquei séria e engoli em seco.

_Também para você? _ perguntou.

Sentei-me ao seu lado e o olhei longamente deitado em minhas almofadas, dentro do cenário da minha vida, me dizendo que eu era a atriz principal da sua história. Acariciei seu rosto com a mão esquerda e me inclinei sobre ele. Sussurrei:

_Foi único.



Bastidores= Cris e Igor decidiram romper as barreiras. Mas, virão muitas outras por aí e é agora que a história está prestes a começar para esses dois... Não percam!

6 comentários:

Sarah disse...

Li tu ker nos matar d curiosidade?!
q lindo isso aki ta começando a eskentar!!!
uhul
ameii td
alias smp amo!!!
bjux

Professora Ana disse...

aiai!!! imaginar essa cena toda me deu um caloooorrr!!!!!!hehehehehe!!!! tia Li, conta mais, conta mais!!!!!!!!! ta começando a ficar bom!!!!!uhauhauhuahua!!!!

Quel disse...

UAU!!!!
O beijo demorou, ams quando foi...serviço completo!!!hehehe...Muito lindo adorei Li!!!
E estou surtando de curiosidade de novo neh...cm sera que vai ser agora???
Beijoss

Laine disse...

É só o começo, Li?? Adoro quando você fala isso!!!
Beijão Li!
To amaaaando!

kamylla disse...

obaaaaaaaaaa!!!!

eles se beijaram enfim!!!

Lindoo,amei! como disseram aki " o beijo demorou,mas qndo aconteceu foi serviço completo hen" rsrsrrsr

Amandooo o livro!!

bjusss

=**

Lucy disse...

Poutz!!! Foi mais que perfeito!!! \o/ Eu nem esperava e ele... de súbito... poutz!!!

Caraca, uma lembrança absolutamente perfeita me veio à mente... que saudade... (lágrimas) poutz...

Perfeito, Li!!! Perfeito!!!