14 de abr de 2008

Cap 35: A confiança é uma moeda de troca (Cris)

Eu senti que Luísa guardava parte da história que Igor omitira. Como jornalista, isso significa que não fiz um bom trabalho e deixei alguma informação pendente. Não era nenhuma matéria de jornal que demandasse um furo, mas meu lado profissional havia falhado. Eu não perderia a chance de reparar isso:

_O que aconteceu com Igor, Michele e Rui?

_Eu não compreendia bem o que estava acontecendo porque era muito pequena. Mas, depois, Igor me contou em detalhes. Para mim, pareceu uma incrível história de filmes, só que, mais tarde, eu fui vendo que barra ele enfrentou. A gente só sabe o que é gostar de alguém quando gosta, né?

O que ela sabia de gostar? Mas, seja lá qual fosse sua concepção ou experiência, convencia por sua segurança.

_Me conta, então... _ pedi. _ Estou louca para saber... _ fiz um ar de adolescente para tentar persuadi-la.

_Bom, Igor lhe disse que Rui gostava de Michele e acredito que se referiu a uma peça.

_Isso sim...

_Só que nem tudo saiu como os planos dele. Igor conseguiu vingar-se de Thiago, que perdeu para sempre o título de “Namorado de Michele”. Mas, como na vida a gente ganha em alguns quesitos e perde em outros, meu irmão não soube beber a dose certa do veneno. O que era para curar foi causa da “sua própria morte”.

Ela estava sendo dramática demais! Tentei não esboçar qualquer reação.

_Igor fez tantas postagens naquele blog sobre o amigo, sem que esse soubesse que era ele o autor, que, de repente, o colégio só falava nisso e a popularidade do amigo cresceu vertiginosamente. Michele ficou tão encantada pelo fato de ser parte de uma novela virtual contada por um olho anônimo que não queria mais deixar de estar no foco das atenções. Ela começou a gostar do mito Rui, o garoto sem graça que, sem mais nem menos, se tornou a fonte de todos os assuntos. Só, que ela seu deu conta disso justamente quando Igor entra em cena na vida real por um acaso do destino.

_Pelo que me lembro ela estava doente e pediu para que Igor fizesse parte de uma peça que arrecadaria fundos para seu tratamento... _ tentei me lembrar dos detalhes que sabia para situá-la até onde eu tinha ciência. _ Como estava tão envolvida com Rui se deu em cima de Igor?

_Pelo visto meu irmão não contou os mínimos detalhes... _ Luísa sentou-se e pareceu mais disposta a não deixar passar nada que sua memória pudesse recordar. _ Seguinte... a Michele, quando descobriu que estava com uma infecção séria no fígado, se deu conta de que poderia morrer. Igor começou a ensaiar a peça com ela e formaram um par perfeito em todos os quesitos. Dançavam, atuavam, gastavam todo o tempo fora de sala juntos. Não deu outra, se apaixonaram. Só que Igor sabia que não poderia trair o amigo de modo algum.

_E o Rui descobriu? _ perguntei ansiosa e completamente envolvida por sua narrativa.

_Não... mas Igor não agüentou e traiu a amizade dele. Em um dos dias da peça, ele estava sozinho com Michele na sala onde se arrumavam. Ela parecia muito nervosa e meu irmão resolveu animá-la com algumas piadas. Quando estavam completamente soltos e perceberam que ninguém ali poderia ser testemunha de nada que fizessem, Igor a beijou impetuosamente. Eles se afastaram e se deram conta do que acabavam de fazer. Depois da peça, na saída, Igor correu atrás dela e pediu que fingisse que nada aconteceu porque não gostaria de perder o amigo. Michele ficou muito chateada, pois pareceu que o beijo não tinha significado nada para ele. Igor havia provocado um verdadeiro epicentro de um terremoto. Michele perguntou se ele teria coragem de ficar com ela.

_Igor disse o quê?

_Que gostaria, mas que isso dependeria de trair o amigo, então, era melhor não tentarem. Foi aí que Michele entrou na fase de cirurgia e ficou no hospital. Ela terminou com Rui, mas ele não cansava de visitá-la e fazia tudo para estar ao seu lado. Igor se afastou totalmente e sofreu pra caramba.

_Que horrível.

_O pior é que ela não aceitava receber suas visitas porque dizia que ele era um covarde.

_Nossa, que cruel!

_Eu a entendo. Ela já sabia que não resistiria e preferiu ferí-lo a mantê-lo longe.

_Michele morreu? _ perguntei.

_Morreu. Mas, antes, pediu que Igor fosse visitá-la. Ele correu para vê-la, claro. Ela lhe disse que não deveria desistir das coisas, mesmo que implicasse perdas. Meu irmão não resistiu e a beijou. Ela falou que admirava a atitude dele com o amigo.

_Pelo menos, Igor não perdeu a amizade de Rui.

_É... só que a história não pára aí. Rui ficou muito mal após a morte da ex-namorada e começou a sair muito e beber. Ele morreu poucos meses depois em um acidente de carro.

_Não diz isso! _ senti um nó na garganta.

_Aquilo foi o fim para o meu irmão. O Rui pelo menos nunca saberia que Igor ficou com sua namorada. Essa era a compensação para meu irmão não ter lutado por Michele. Agora, com a morte dos dois, não ficou nada... Aaliás, ficou só uma coisa.

_O quê?

_O palco. _ Luísa sorriu e vi seus olhos cintilantes. _ Os dois se foram, mas a experiência de atuar tornou-se a única coisa boa e viva para Igor. Isso o fez sero sucesso que é hoje.

_Uauu! _ ri. _ Isso tudo é incrível... é tão louco... _ soltei os ombros, estava tensa com toda a história.

Eu precisava sair e respirar. Aquelas cenas eram muito fortes e surpreendentes. Quando encontrei Igor na saída, perguntei por que não me dissera tudo.

_Não estou entendendo. _ ele disse.

_Igor, há uns amigos seus chegando agora... _ Karen aproximou-se, não queria que ninguém nos pegasse conversando.

_Depois cumprimento eles. _ Igor respondeu, sem olhá-la. _ Vamos para cá. _ seguiu pelo corredor lateral que dava para os fundos da casa.

_Não fiquem em um canto isolado. Por favor, prefiram um lugar público. _ a voz de Karen já longe não o fez parar de andar.

_Como sabe?... _ Igor olhou nos meus olhos.

_Luísa... _ revelei.

_Hum. _ ele respirou fundo. _ Não precisa sentir pena, ok?

_Pena? Não! Eu fiquei admirada... achei muito diferente...

_Às vezes, eu prefiro que fique assim: meu amigo amando a garota que também amei. Os dois vivos em algum ponto feliz do passado. _ falou.

_E você?

_Eu? Nem sempre há espaço para nós em todas as cenas. Às vezes, devemos nos contentar com uma ponta, um papel menor.

_É que olho para você e... não posso crer que enfrentou tantas coisas.

_Imagino que você também já passou por outras tantas. Amanhã a gente continua?

_Ah, claro, claro... se você não me esconder mais nada. _ ri e falei em um tom amistoso.

_Confiança é uma moeda de troca.

_Eu já vou. _ disse-lhe.

_Fica? _ pediu.

_Eu não combino muito com a festa... _ disse-lhe.

_Mas nem está na sua hora de trabalho.

_É, não estou. _ achei graça.

_Sem contar que eu ainda não derrubei nada na sua roupa. _ brincou.

Ri e balancei a cabeça para os lados.

_Preciso ir mesmo. _ sorri e caminhei para o portão.

Assim como Igor criara um Rui para as pessoas de forma que elas passaram a amá-lo através daquela narrativa anônima, Luísa conseguiu me fazer admirar seu irmão depois das revelações. Aquele que pedia para eu ficar era alguém que perdera um grande amor, um grande amigo e uma grande chance de ser feliz, mas ainda estava de pé.

Li Mendi

Bastidores: Se a confiança é uma moeda de troca, depois de ouvir tantas revelações, o que Cris vai contar também? Hummm, é o que vamos ver!

**Se você quiser receber informe por email de que o capítulo foi publicado, deixe seu e-mail no comentário abaixo. Beijos da Autora Li Mendi

2 comentários:

Li disse...

Olá, minhas leitoras queridas!
Estão gostando da estória?

Ah! Qnt aos comentários do cap anterior, eu já tive uma idéia. heheh

Se eu um dia publicar o livro não vou dar aqueles brindes toscos de marcador de texto.

Será um chicotinho!!!! hahha

Vcs são danadinhas hen, mocinhas hehehe

Muitos beijos.


p.s: quem quiser q eu envie um email dizendo q o post foi publicado, deixa aí o seu endereço no corpo do comentário.
Li Mendi

Li disse...

---> Para quem quer ler mais um pouquinho, há muitos textos também no blog TRILHAS DA VIDA

WWW.TRILHASDAVIDALUCYLI.BLOGSPOT.COM

FICA A DICA. BEIJOS.