22 de mai de 2008

Cap 53: Loucura (Igor)

Entrei pela sala como um projétil que já tinha o destino certo. Eu era um rastro de fogo cortando o ar. Quis arremessar aquele computador na parede e espedaçá-lo.

_Não adianta, não está mais aí. _ Karen falou com a voz fria e os olhos cintilando.

Congelei, como a câmera que detém a cena e deixa os objetos suspensos.

_Já está na Internet.

_Você não...

_Não, eu não. _ corrigiu e deu uma risada enlouquecida. _ Alguém, um anônimo qualquer...

_Por que está fazendo isso comigo?

_Quem começou?

_Isso não é uma guerra! _ franzi a testa indignado.

_Eu vou destruir cada tijolinho do castelo que ergui para você.

_Você está louca! _ agarrei-a pela gola da blusa.

_Me solta! _ gritou e correu para a cozinha.

_Eu não vou te perdoar! _ peguei-a pelos braços e a apertei contra a pia.

_Socorro! _ Karen gritou.

_Eu posso cair, mas você vai vir junto. _ tampei sua boca com uma das mãos e seus olhos se esbugalharam.

_Hummm... _ tentou falar.

Karen puxou uma faca que estava em cima da pia com uma das mãos que soltei por alguns segundos.

_Você ousaria tirar a vida de quem ama? _ perguntei, sentindo o metal frio no pescoço abaixo da minha nuca.

Destapei a sua boca.

_Se não pode ser meu, não será de mais ninguém.

_Se me matar, não impedirá que Cris continue gostando de mim, nem que minhas fãs me idolatrem, nem que...

_E se eu me matar?

_Ãnh?

_Eu não posso fazer as pessoas te amarem. Mas, eu posso afastá-las de você.

_Você está louca!_ tentei puxar a faca de sua mão. Contorci seu pulso.

A faca caiu no chão e fez um estalido metálico. Peguei mais rápido que ela, mas tive que duelar no chão para impedir que tomasse de mim.

_Não vai me incriminar! _ puxei seu braço com força, mas ela conseguiu recuperar a faca.

_Você nunca mais será o mesmo! _ Karen sorriu, feliz por estar sob o controle. _Igor, não me mate! Igor não me mate! _ berrou e dei-me conta de que os gritos eram para chamar a atenção do segurança.

Eu atirei-me sobre ela e rolamos pelo chão, mas Karen conseguiu o que queria, cortando-se em um ato de loucura passional. Senti duas mãos puxar a minha camisa por trás e depois um punho fechado no centro do meu rosto fez tudo se apagar.

Quando acordei, senti uma forte dor de cabeça. Abri os olhos com esforço e percebi que estava deitado em um colchão duro. Assustei-me. Que lugar era aquele?

Um comentário:

Laine disse...

Li, eu não acredito que vc fez isto!!
Tudo bem que eu queria que ele sofresse um pouquinho, que se acabasse de chorar ao ouvir 5:19, mas ele na prisão?? Como ele vai se livrar desta? Estou chocada!! kkkkkkk!!
Beijão Li